Os mestres do Renascimento

Cristina Acidini

Com obras-primas dos grandes mestres do Renascimento, provenientes das maiores coleções públicas e particulares da Itália, esta mostra apresenta ao público a extraordinária riqueza da arte italiana no momento de seu maior esplendor.

Quando Colombo chegou ao território que viria a ser a América, a Itália não era uma nação unitária como a França, a Inglaterra e a Espanha, mas estava dividida em vários estados cujas capitais eram as maiores cidades – Milão, Veneza, Florença e Roma – e também em inúmeras cortes menores, ricas e refinadas.

O Renascimento surgiu, sem dúvida, em Florença, mas, ao florescer, desenvolveu-se num universo muito mais amplo, com linguagens artísticas diversificadas e, principalmente, com uma concentração única de grandes mestres, que as cortes disputavam como autênticas estrelas. Nesse sentido, foi emblemática a carreira de Rafael, que se mudou de Urbino para Florença, e depois Roma: as três obras desse mestre aqui expostas, cada uma de épocas diferentes de seu desenvolvimento, representam sua trajetória artística, de impacto fundamental para o desenvolvimento de toda a arte italiana. Rafael, Leonardo da Vinci, Michelangelo e Ticiano tornaram-se de certa forma mitos, ícones da história da arte. Mas, tanto quanto eles, uma excepcional quantidade de artistas percorreu a Itália e seus ateliês de cima a baixo, dando vida a uma imensa produção artística.

Esta mostra não apenas propõe uma viagem no tempo, para a descoberta dos mestres e suas obras-primas, como é um convite para que se conheça a Itália, suas cidades, igrejas, palácios e os ciclos de afrescos, aqui ilustrados num sugestivo vídeo.